«Este Orçamento é uma vigarice e os seus autores mereciam ser presos»

Publié le par FACE OBSCURA DA LEI

Manuela Ferreira Leite foi esta semana muito dura na apreciação do Orçamento do Estado para 2011,

considerando que «quem fez esta vigarice devia ir preso».

fotos-anonimas.jpg

O Estado português deve de incentivar a contrução civil,

para que servem os terrenos rústicos?

 

- avançar com urbanização, sem tràfico de influências, mas unicamente com  interèsse público.

 -avançar com a restauração de imovèis com o IVA  a 5%. Conheço bem Coimbra e Lisboa sei que hà muito trabalho para fazer

 

Quem fez esta vigarice, são aqueles que andam a explorar os financiamentos europeus hà muitos anos.

Uma cambada de chulos e de cobardes.

 

É triste, mas é a realidade, a maioria do povo português gosta de ser enganado, e, depois acontece que aqueles que têm um bom tacho, não estão dispostos a perdê-lo, portanto essa é que é a realidade.

 

Na função publica é que hà economia  a fazer, e não no aumento de impostos, r

espectivamente na actividade de gestão e administração de dinheiro,

valores e património públicos, seja qual for a natureza da entidade gestora, deve, nos termos da Constituição da República e da lei, pautar-se por princípios de interesse geral, nomeadamente, da prossecução do interesse público, da igualdade, da proporcionalidade, da transparência, da justiça, da imparcialidade, da boa fé e da boa administração.

 

O fenómeno da corrupção, constitui uma violação clara a estes princípios éticos.

 

Volto a repetir a famosa frase:

 

Corrupção,

ou se acaba com éla, ou, éla acaba com o pais!!

 

Recordo que fui processado e julgado pela corja, por esta expressão civica e legal. Claro acabei por ser absolvido, porque mudei de advogado!!!

 

Tambem recordo que no quadro do Código de Ética e da luta contra a corrupção os funcionários públicos competentes devem comunicar quaisquer práticas irregulares de que tenham conhecimento, prestando a devida colaboração em eventuais processos disciplinares ou de investigação criminal pelas respectivas entidades competentes.

 

Os funcionários públicos que nao comunicarem as pràticas irregulares de que tenham conhecimento e que nao denunciem o fenómeno da corrupção, tornam-se complices.

 

Estes funcionários públicos complices, devem ser devidamente punidos.

 

 675 mil em 2009 número funcionários públicos.

 

Uma solução para Portugal é fazer limpeza nas despezas públicas e nos seus 675 mil funcionários.

 

Os funcionários, no exercício da sua actividade, devem agir de forma leal, solidária e cooperante, os que não respeitam os cidadãos, devem de ser excluidos da função pública .

 

  

Fernando Sérgio

Publié dans GREVE DE FOME

Commenter cet article