Je communique copie du journal de la communauté Portuguaise en France.

Publié le par FACE OBSCURA DA LEI

Je vous invite à consulter Lusojornal :

http://www.lusojornal.com/unefr.pdf

Fernando Sérgio
Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :

Commenter cet article

anonyme 22/10/2008 20:31

A renucia á nacionalidade é sempre algo muito complicado e uma decisão dificil de se tomar.
Temos de ter um passado muito doloroso para tal, mas se fosse natural de alguns paises que conhecemos, era capaz de ser uma opção.
Aceito com algumas restrições que em alguns casos, para uma pessoa evoluir profissionalmente ou socialmente tenha de optar entre o sucesso e a sua naturalidade.

Maria José 22/10/2008 20:20

alguem dizia; para melhor, muda-se sempre...

Patricia 22/10/2008 20:19

Também estou muito triste com o estado do meu País. Renunciar à nacionalidade penso que não,todavia não sei o que pensarei daqui a uns anos... Força

J. Gonçalves 19/10/2008 19:39

Caro Senhor
Por intermédio do "Portugalclub", encontrei o seu blog. O que escreveu dá para perceber o seu "estado de alma".
Muita saúde, para o Senhor e Família.

lopes 16/10/2008 20:10

Acredito nestas coisas porque em Portugal terra de tâo boa gente,também hà gente capaz de tudo, capazes de se entenderem bem consigo, para melhor o trair.
no que respeita a actualidade, està pessima, e nos portugueses ausentes somos mais que descriminados.
o fechar dos consulados e obrgatoriedade de voto presencial, levou a que nâo pude resistir e escrevi este email para o geverno.
coragem
j lopes.

GOVERNO ENIMIGO DOS EMIGRANTES

Este Governo é mesmo contra os portugueses residentes fora de Portugal
Somos descriminados em tudo, agora até no votar.
Na historia socialista foi sempre muito dificil convencer os governos deles a darem direito a voto, a verdade é que ainda a muito pouco tempo se pode votar no presidente da républica mas isto contra a vontade do governo socialista
Nas autarquias que nos temos sempre no corçâo, nem pensar enquanto a maquina socialista estiver no poder este direito nunca nos serà dado, mesmo sendo cada vez maior o numero a residir fora de Portugal.
Começaram por nos fechar a maior parte dos consulados.
Para nos o voto ja era dificil pois devido à distancia, e em saber em quem votar, mas agora com esta obrigaçâo de fazer o voto presencial. Acabam mesmo com a vontade de nos residentes fora do pais em particiipar na cidadania como qualquer outro cidadâo.
Governo sem consciencia, irresponsàvel.Em Portugal as mesas de voto situam-se a tres ou quatro kilometros do cidadâo, fora do pais muitos hà que estao a mais de trezentos kilometrose isto é a pensar num pais como a França, porque se falarmos em paises como as africas isso é mesmo diferente.
Durante muitos anos votava-mos por conrespondência, o que no pior dos casos este era mesmo o mais adequado.
Os tempos mudaram e hoje tudo poderia ser diferente, com muito pouco custo mas os socialistas nâo estao para isso.
Depois vem um senhor engravatado aus micros e camaras de televisao dizer que apoia a modernice, computadores nas escolas internete para os pastores etc.
Para envelar os enocentes começou a sua campanha de candidato a vender os seus planos tecnologicos para salvar o pais , fazer deste sudueste da Europa o emblema europeu da modernizaçâo.
Onde estâo esses planos tecnologicos senhor primeiro ministro.
Nesta evoluçâo dos tempos, o senhor nunca lhe passou pela cabeça de que para nos portuguesses residentes fora do pais, a quem vocês chamam emigrantes, o voto eletronico é o mais seguro, ràpido e comodo, sabia senhor ministro que em pouco tempo poderia aumentar a massa eleitoral em pelo menos um milhao a mais.
Em quem eles votariam, nâo sei, mas de certeza em consiencia e em gente capaz.
Dà a impressâo que os portugueses residentes fora de Portugal, sâo um estorvo para o governo.
Pois senhor ministro, cada vez serà mais estorvado, Porque de Portugal so sai quem quer trabalhar para ter uma vida digna.
Neste momento, para encher o vasio, entra muita gente honesta com vontade de trabalhar, a qual nos merece o maior respeito, mas também muita gente vem para roubar.
Depois dà-me vergonha de ser portugues, ao ouvir os senhores ministros dizer nâo nâo è grave, estejam tranquilos como quem diz eles nâo conseguirâo roubar as casas todas, da a impressâo que poe uma manta para proteger o banditismo.
Saber que sâo os impostos de quem trabalha que pagam os salarios chorudos desta gente é mesmo muito triste.

Falando de impostos senhor ministro, ai você nâo se esquece de nos. Que por vezes somos vitima das vossas leis barbaras desonestas senhor ministro, como me aconteceu a mim que no dia em que estava para regressar ao meu pais de trabalho, fui prendado com uma carta registada, (sem nunca esta ter sido precedida pour qualquer aviso) para pagar uma coima por nâo ter feito uma tal declaraçâo au abrigo de uma lei que eu nem sequer estava sujeito, mas tinha de pagar para fechar este caso foi o que me foi aconselhado.
Esta coima elicita que era de duzentos e tal euros, mas como também era preciso entregar um plano de uma casa com mais de cem anos, também elicito, logo tive de o mandar fazer o qual me custou mais duzentos e tal euros. Como com a burocracia que ainda existe no nosso pais, eu jà nâo tinha tempo de arrumar o caso, o qual entreguei a quem o pudesse fazer por mim, foram mais duzentos e tal euros. Custou-me essa prenda senhor ministro quase setecentoseuros . quase um mes de trabalho para mim.

De vez em quanto vêm desavafar diante das cameras,dizendo estamos no bom caminho, o desemprego parou de subir, estamos a progredir.,
Na verdade Portugal tem uma enormissima fàbrica, é a mais comprida da Europa, chega da Andaluzia à Galiza, todos os dias para là vâo trabalhar dezenas ou centenenas de pessoas, sem contar outros que tendo possibilidade vâo para mais longe.
Senhor ministro neste pais aqui onde moro os carros ematriculados em Portugal cressem de dia para dia. Hoje jà nâo é como dantes que a viagem demorava em media uma semana, chegam aqui de carro e telemovel e muitos até ja falam um pouco de francês.
Se calhar alguns vâo dizer em Portugal jà se vive bém, porque cada vez hà mais portugueses a fazer turismo por essa Europa fora.

Senhor ministro o português que trabalha fora, està sempre a pensar no seu pais que é Portugal.
não despreze os maiores amigos de Portugal .
José lopes