Comunicação ao Senhor Primeiro Ministro - Renúncia à Nacionalidade Portuguesa

Publié le par FACE OBSCURA DA LEI

Decidi renúnciar à nacionalidade portuguesa. Estou farto deste sistema, deste Portugal que não respeita os direitos humanos e onde não há Justiça.

Os emigrantes são tratados como cães em Portugal . A Justiça Portuguesa não tem a qualidade da  justiça estrangeira.

Aqui nós somos tratados mal. Basta um tipo qualquer ter amigos - como disse aliás o Dr. Marques Mendes no seu último livro - e cunhas para os outros serem prejudicados.

Em França são respeitados os direitos humanos, sem olharem à origem.

 Em França são presos generais, juizes, a Justiça é igual para todos.

Em Portugal não.A partir de soldado da GNR já não se pode fazer nada. O sistema auto protege-se.

Portugal está nas trevas. Infelizmente, para minha grande mágoa, para minha grande perplexidade.

Pelo que decidi lutar pelos meus direitos nos processos que tenho em Portugal e nos Tribunais franceses e o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, onde já tenho queixa contra Portugal.

O meu problema já não é judicial. E político.

Para conhecimento publico a carta que enviei a Sua Excelência o Senhor Primeiro Ministro.

                                             "  Exmº Senhor

                                               Primeiro Ministro de Portugal

 

 

 

Assunto:  Comunicação de Renúncia à Nacionalidade Portuguesa. Razões da decisão.

 

 

Excelência

 

 

Fernando  Sérgio Gomes Lopes, divorciado, empresário, nascido  a 18 de Dezembro de 1967, natural de Camarneira, Cantanhede , portador do Bilhete de Identidade nº 9357393, emitido em 15/3/2006, em Coimbra, residente em 126/128 Rue du Chatou, 92700 Colombes, França , vem informar V. Exª que RENUNCIOU À NACIONALIDADE PORTUGUESA E DECLINAR OS MOTIVOS, que são os seguintes:

A) - Razões

1 – Ser tratado em Portugal pior do que se fosse estrangeiro;

2 – Ausência de um sistema de Justiça Equitativo e Imparcial;

3 – Não ter Pátria por ser estrangeiro em Portugal e não ser Francês em França;

4 – Ausência em Portugal de respeito pelos meus direitos, mesmo os humanos;

5 – Portugal ser um Estado onde a corrupção impera, onde o caciquismo local é Rei, onde o amiguismo é a prática contra quem é adversário dos amigos dos polícias, quem tem contactos nas magistraturas .

B) – Fundamentos

1 – Desde a idade de 15 anos que emigrou para França, perante o espectro da fome, da falta de qualidades de vida e oportunidades;

2 – Durante 25 anos de emigração tornou-se um empresário de sucesso em Paris, onde é sócio maioritário de uma empresa – que emprega muitos portugueses – do ramo da construção civil;

3 – Uma vez que a sua já idosa mãe, continuou em Portugal decidiu investir em Portugal, para criar riqueza e postos de trabalho, ajudando Portugal a desenvolver-se;

4 – Comprou várias propriedades no concelho de Cantanhede, Oliveira do Bairro e Estarreja;

5 – Decidiu investir em Portugal por ser português e pelo facto de o Governo Português ter sensibilizado empresários portugueses residentes em França;

6 – Apresentou projecto para construção de 10 vivendas, no concelho de Cantanhede, viu o projecto aprovado e o financiamento aprovado pela CGD e pelo BES;

7 – No Concelho de Oliveira do Bairro tem 6 ha, dos quais 54.000 m2 para construção;

8 – Em Estarreja comprou dois terrenos e construiu duas vivendas.

9 – Quando comprou leiras de terreno junto da casa da sua mãe, na Camarneira, surgiu um conflito com um vizinho que mentindo à CM de Cantanhede , disse que o terreno era dele e aquela CMC fez obras para uma passagem, da via pública para uma vinha dele;

10 – Nos títulos de propriedade não está registada qualquer servidão por aquele local;

11 – No contrato promessa de dois dos  7 imóveis, das leiras, que comprou é referido que não estão sujeitos a qualquer servidão;

12 – O que é verdade, porque nasceu numa casa junto aos terrenos, a casa da sua mãe e ali viveu até aos 15 anos quando emigrou para França;

13 – Obteve aprovação da CMC para murar, vedar com rede de arame e pilares de madeira ,  as propriedades, como aliás é usual e a cerca de 2.000 m um ex-presidente da CMC fez numa sua ;

14 – O seu vizinho Valdemar Barreira da Cruz fez-lhe a vida negra para o impedir de vedar as propriedades, para reconstruir a casa em ruínas existente numa das leiras;

15 – O vizinho Valdemar é amigo de vários elementos da GNR, que a todo o momento, a pedido dele,  se deslocavam às propriedades , pelos mais variados motivos, para obter um objectivo principal: impedir a vedação das propriedades, perturbar os trabalhadores, prejudicar o exponente;

16 – Isto porque o Valdemar queria comprar as leiras que o exponente acabou por comprar, por pagar mais;

17 – A partir daqui, os elementos da GNR, agindo parcialmente, ajudaram o Valdemar;

18 – Os processos crime foram-se sucedendo ;

19 – Os militares da GNR prestaram informações não verdadeiras ao Ministério Público de Cantanhede, em várias situações;

20 – As queixas que o exponente apresentava foram sendo arquivadas por ausência de investigação, chegando o Mº Pº ao ponto de apesar de existirem queixas arquivar dizendo não haver queixa!

21 – Quando o exponente se queixou ao Ministro da Administração Interna, os elementos da GNR mentiram aos seus superiores, levando-os a arquivar as queixas;

22 – Face ao que um militar da GNR apresentou queixa crime contra o exponente, não tendo este um julgamento justo e equitativo, o que determinou já queixa no TEDHomem contra Portugal;

23 – O exponente fez duas greves de fome, frente ao Tribunal de Cantanhede, uma em finais de 2006 e outra em Julho de 2007;

24 – Em Julho de 2007 o exponente solicitou ao Dr. José Maria Martins, advogado, que o passasse a representar;

25 – A partir daqui as coisas mudaram mas o “sistema” manteve a pressão contra o exponente;

26 – Com o novo advogado foram intentadas várias acções contra o Estado Português, no TAF de Coimbra, no Tribunal de Cantanhede, no TEDHomem, contra várias pessoas que faltaram à verdade;

27 – Os processos crime parece que são sempre distribuídos ao mesmo magistrado do Mº Pº e ao mesmo JIC;

28 – A situação foi ao ponto de eu ter sido acusado por ter metido uma placa nos meus terrenos a dizer: “Corrupção ou se acaba com ela ou ela acaba com o país”;

29 – Inócua!;

30 – Mas o Dr. Nuno Salgado, o tal magistrado do Mº Pº a quem parece que são distribuídos todos os processos em que sou parte, foi ao ponto de mandar o processo à Juiz Presidente para ela participar de mim!

31 – A Mª Juiz não o fez;

32 – Mas como o advogado do meu adversário fora participado por mim à Ordem dos Advogados, o Mº Pº deduziu queixa crime contra mim pela placa, dizendo que eu a dirigi ao advogado do meu adversário Valdemar!

33 – O Dr. Martins fez a defesa, muito dura, e o JIC não aceitou pronunciar-me;

34 – No debate instrutório esteve a representar o Ministério Público outro magistrado do  Mº Pº, o Dr. Diogo, que não pediu a minha pronúncia pela placa;

35 – Face  à não pronúncia o Mº Pº que não disse uma palavra nas alegações do debate instrutório sobre a placa, acaba por recorrer ,pela pena do Dr. Nuno Salgado contra a não pronúncia;

36 – O Tribunal da Relação de Coimbra manteve a não pronuncia, muito recentemente;

37 – A mulher do meu adversário, Valdemar, já foi condenada por me ter agredido por causa do conflito nos terrenos;

38 – O meu adversário Valdemar já foi condenado por violar a providência cautelar decidida pelo Tribunal de Cantanhede;

38.1 – O advogado do Valdemar é o mesmo dos GNRs!!!

39 – Tenho um blogue que é Injustiças da Justiça “www.injusticas-da-justicas.over-blog.fr e nele , com o meu português deficiente - só tenho o ciclo preparatório e não vivo em Portugal há 25 anos - fui escrevendo sobre a injustiça que sentia e a revolta pela situação;

40 – Em Cantanhede não sinto ter Justiça Imparcial e Equitativa. O Valdemar é amigo de GNRs – um vive a mesma rua , a cerca de 20 metros – foi emigrante e trabalhou numa consulado ou numa organização internacional como motorista  e os GNRs são amigos dos procuradores, estes são amigos do Juiz Dr. Manuel Figueiredo. Está tudo dito!;

41 – Recentemente fui notificado que o Juiz e o Procurador-Adjunto, Dr. Nuno Salgado participaram criminalmente de mim , estando o processo na Mealhada, por difamação e está a correr outra queixa contra mim feita pelo advogado do meu adversário, contra quem, aliás,  também tenho queixas;

42 – Decidi processar criminalmente os magistrados e o advogado, este nas Justiças de França, em Paris, no Tribunal de Grande Instância de Nanterre;

43 – E levar todos os casos ao Tribunal Europeu dos Direitos do Homem;

 

C) Desistência de investir em Portugal

 

1 – Estou desiludido com o sistema Português . No Concelho de Estarreja nunca tive problemas com ninguém; No Concelho de Oliveira do Bairro nunca tive problemas com ninguém; Em França sou respeitado como pessoa – e sou estrangeiro – como empresário, como cidadão;

2 – Decidi que não vou investir um cêntimo em Portugal e queria investir milhões;

3 – Quero ver Portugal longe de mim.

4 – Senhor Primeiro Ministro, creia que tenho simpatias por si . Creia que pensei que Portugal tomaria um novo rumo, o da modernidade e eu queria ajudar investindo e criando empregos;

5 – Mas V. Exª nunca conseguirá alterar este estado de coisas, esta mentalidade própria da idade média que reina em Portugal.

6 – Mas também V. Exª é vitima do “Sistema”, fazendo-me lembrar a série inglesa “Yes Minister”;

 

 

D) – Renúncia à Nacionalidade Portuguesa

 

1 – Perante este quadro de coisas, a única conduta digna é lutar pelos meus interesses e defesa da minha honra e dignidade como ser humano, agindo nos Tribunais Portugueses e seguir para o Tribunal Europeu; Lutar com o mesmo fim nos tribunais franceses, seja contra quem for;

2 – No dia 29 de Setembro vou na Conservatória do Registo Civil de Cantanhede renúnciar à Nacionalidade Portuguesa;

3 – Vou pedir a nacionalidade francesa o que será muito fácil pois tenho a minha vida em França, tenho filhos nascidos em França, sou empresário, conheço todos os países da Europa, conheço África, tenho familiares no Brasil, conheço os EUA, o Canadá , a Tailândia, a Rússia,  só lamento a sorte dos portugueses.

4 – Portugal está mal visto em todo o lado, Senhor Primeiro Ministro , não tenha a mínima dúvida;

5 – Portugal é uma enorme “Bidonville”, na Europa. O sistema português está para a União Europeia como a Albânia de Ever Hoxa estava para o resto do Mundo, arcaico, paupérrimo, sem esperança;

6 – Os emigrantes portugueses estão fartos de serem tratados mal em Portugal. Os que ficam em Portugal tratam os emigrantes como os que ficaram a caverna Platónica trataram o que saiu e depois regressou;

7 – Portugal não consegue chegar aos calcanhares dos outros países. Está cada vez mais pobre, mais miserável;

8 – A Paris chegam todos os dias portugueses desesperados, a pedir trabalho, que emigraram sem nada. Só em 2008 já empreguei 4 portugueses em Paris;

9 – Infelizmente a realidade é esta. Em Portugal não há direito de liberdade de expressão. A perseguição criminal a quem ousa dizer não aos do “sistema” , que vão tendo as suas quintas como era há 500 anos, é intolerável mas sistemática;

10 – Lamento profundamente que Portugal  tenha caído na miséria que é hoje: Um estado pedinte, sempre de joelhos e de mão estendida à porta da União Europa,  sem força internacional, mal visto  em todo o lado , desprezado até pelos países africanos que foram colónias da França;

11 – Portugal é um país gozado , desprezado até no Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, onde se esqueceu que os outros Povos são muito ciosos da Democracia e da Liberdade e que não vão nas conversas e  esquemas dos Povos que eles qualificam de inferiores, alguns do Sul da Europa;

12 – O MINISTÉRIO PÚBLICO PENSAVA QUE PODIA DIZER UMA COISA EM ESTRASBURGO E OUTRA EM PORTUGAL E QUE ISSO NÃO SERIA DENUNCIADO, CENSURADO.

13 – Enganou-se  tendo o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem , na Sentença do Caso Martins Castro e Alves Correia de Castro c. PORTUGAL, Requête nº 33729/06, de 10 de Junho,  julgado:

 

“La Cour tient à souligner que le rôle dês  agents du ministère  public – magistrature  représentant d´ailleurs L´État également  à  Strasbourg – est en cette matiere  extrêmement important. Elle ne saurait accepter que ces agents présentent au niveau  interne dês arguments incompatibles avec la  position soutenue par l´agent du  Gouvernement devant la Cour /A.C.R.E.P. c. Portugal, nº 23892/94, décision  de la  Commission du 16 octobre 1995. Décisions et rapports (DR) 83,p. 57).

 

14 – O que significa que na “quinta” portuguesa as instituições fazem o que querem dos portugueses. Não há direitos humanos. No Tribunal Europeu, para inglês ver, os magistrados do Ministério Público já “dançam a mesma música” da Europa. Um jogo de espelhos, plano e curvo, onde num lado se afirma e noutro se nega, em ambos se crê, como diz António Gedeão num dos seus poemas maravilhosos;

15 – É o Portugal dos pequeninos, um Povo Mártir sem dirigentes à altura, desde pelo menos 1851;

16 – Quando Portugal se confronta com os outros países perde sempre:

 

 1 – Espanha invadiu o Alentejo em 1801. Portugal nem se defendeu e entregou Olivença que ainda hoje está nas mãos de Espanha e Portugal sempre calado e submisso;
2 – Napoleão invadiu Portugal em 1807. O Rei português  fugiu para o Brasil e teve que ser o Reino Unido a mandar tropas para defender Portugal;

 3 - No  Século XIX foi apresada a embarcação negreira “Charles et Georges” ao largo de Moçambique. A  França mandou a esquadra bloquear LisboaPortugal  cedeu e entregou o navio;                                                                                                                                                           

4 – Os portugueses envolveram-se em guerra civil por  causa dos cemitérios, teve que ser a Espanha, a França e  a Inglaterra a vieram cá pôr ordem, através de acções  militares no Norte do País que acabaram com aConvenção de Gramido;

5 – Os Ingleses lançaram o Ultimatum. Portugal cedeu;

6 – Na 1ª GG Mundial os portugueses morreram  em França , aos milhares, sem armas, sem comandos;

7 – Na 2ª GG Portugal teve um papel dúplice, ora  apoiado a Alemanha, ora apoiado os Aliados. Com um  ultimato dos Aliados tiveram de ceder os Açores;

8 – Os Israelitas iam vender mísseis Red Eye a Portugal,                              através de Henry Kissinger, em 1973. Os EUA pediram  para usar a base das Lages para apoiar Israel na Guerrado Yom Kipur. Portugal não queria! Mais um ultimato e Portugal cedeu.

 

17 – Hoje Portugal se não fossem os emigrantes com as elevadas remessas que enviam para Portugal, se não fosse a União Europeia, morria à fome porque não produz nada. Portugal é um pedinchão mundial, está mais atrasado, não consegue ter níveis iguais aos outros, a corrupção parece ser endémica;

18 – Mas Portugal tem um ministério público muito forte!

Forte com os fracos. Medroso com os fortes. Como convém.

19 – Eu vi na França que no caso Casa Pia os magistrados foram tratados abaixo de cão. Não tenho informação de ter havido um único processo contra os poderosos que atacaram o Ministério Público. Porque são fortes, são eles , os poderosos que mandam no Mº Pº. E quem é mandado obedece!

20 – Já eu , tenho sido injustiçado, tenho visto os meus direitos ofendidos, e quando ouso protestar, lá está o Todo Poderoso Ministério Público a perseguir-me!

21 – Perante este quadro, só me resta  dizer “au revoir”. Continuar a ser português seria um exercício de suplicio , uma conduta indigna que eu não permito a mim mesmo!

22 – Pelo que lhe envio, Senhor Primeiro Ministro, fotocópia do meu BI, porque o original irei queimá-lo eu mesmo.

23 – A luta pelos meus direitos vou continuar a fazê-la os tribunais portugueses quando forem esses os competentes, o resto nos tribunais franceses e o TEDH. Contarei com o Dr. José Maria Martins, que tem experiência de julgamentos em França em conjugação com os advogados da minha empresa com os quais trabalho há vários anos;

24 – Por fim, tenho de lhe dizer que gostaria que os emigrantes portugueses, que são tão maltratados como eu, renunciassem à cidadania portuguesa e deixassem de mandar dinheiro para Portugal,  que não tem nada, que não produz sequer para comer, cujos campos estão ao abandono, só se vendo vinhas para os portugueses se irem embebedando e dessa forma esquecerem a sua triste sina.

25 – Porque Portugal não merece o esforço e a dedicação dos emigrantes. Deve ficar apenas com os funcionários públicos os “magistrados”, os policias .

26 – Irei lutar como Emile Zola lutou e escreveu na obra “J´Accuse”.

 

 

Au Revoir,  Monsieur Premier Ministre.

 

 

Cordialement ,

 

 

__________________________

Fernando Sérgio Gomes Lopes

 

 




Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :

Commenter cet article

Antonio Carlos Gomes 08/07/2009 21:46

Estou a 100% consigo. Estive 3 semanas com a minha esposa, vivo nos Estados Unidos, e digo, uma corrupcao horrivel.
Vou pedir nacionalidade Americana e bye bye 3rd world country (Portugal).

Otus scops 11/02/2009 05:44

excelente texto. infelizmente é bem verdade aquilo que diz, o país está perdido, passaram 35 anos e a revolução não aconteceu - FALTA EDUCAR O POVO. o Estado é o povo e o povo é que faz o Estado ou seja colhemos os frutos daqulio que semeamos. é gravissímo tudo aquilo que se passa, põem em causa a existêcia do Portugal como país.
apenas queria comentar duas ou três coisas em dissonância com a simpatia que nutro pelo artigo e pelos anteriores comentadores.
- o autor, para quem tem pouca formação académica, exibe uma fluência escrita e poder de síntese excepcionais além de um alargado conhecimento da história e de princípios filosóficos fundamentais. ou alguem lhe escreveu os textos ou então é alguem com uma capacidade e autodidactismo invulgares.
- outra coisa que me irrita particularmente é a atitude dos emigrantes (em geral) que sairam do país devido a condições de grande miséria e necessidades, singraram nos países de acolhimento (em geral são um sucesso) e voltam com uma atitude triunfalista e "nouvelle-rich" que só lhes fica mal. depois os "parolos" que cá ficaram e que "não conhecem o mundo" reagem mal contra os emigrantes, estes contrapõem com a habitual ladainha de que "lá somos estrangeiros, tratam-nos mal, vimos para cá e somos trados de forma igual".
- outro equívoco é que Portugal depende dos emigrantes e que estes vem tambem como salvadores da nação. as remessas ajudam mas não são determinantes, nunca o foram sequer. quanto à união europeia concordo integralmente. acabou a mama das especiarias, do ouro, borracha, ex-colónias, etc.
- discordo da comparação de Portugal ser um enorme "bidonville", nunca o foi nem é, o mesmo não podiam dizer os franceses e a comunidade portuguesa nos anos 60-70, ao que sei. apesar que poderiamos fazer muito melhor, sobretudo ao nível do urbanismo e planeamento.
- quanto a guerras civis e outras orgulho-me muito de ser português, é um povo que não se mete em guerras, é um exemplo raro de paz e placidez. quanto a Olivença e a fuga para o Brasil, aos franceses devemos essa desgraça que se abateu sobre nós. foi o início da derrocada do nosso império. alem de nos terem pilhado incontáveis riquezas, muitas delas estão assinaldas e por devover ao fim destes 200 anos.
- mas já que fala nos ingleses, os quais muito admiro, queria recordar que já Portugal levava quase 200 anos de nacionalidade ainda andavam os franceses a pelejar os mesmos no norte daquilo que hoje é a França, com mais uma série de guerras civis e com os vizinhos para constituir o actual território. a Espanha tambem ainda não conseguiu reclamar o Roussillon (Aragão) e Iparralde (Navarra) à França! chama-se a lei do mais forte...
- quanto à sua atitude de renuncia à cidadania, entendo-a num plano emocional, mas num plano mais racional revela aquilo que enferma o nosso povo, falta de educação cívica. é por nós não exercermos a nossa cidadania que o país está e estará neste estado comatoso que tão bem descreve. reclamamos quando não devemos e não o fazemos quando é a altura indicada. por favor fique Português, pois são pessoas da sua cepa (da boa) que podem mudar as coisas, que indicam um caminho, mostram uma atitude, exibem coragem e arrojo. mantenha-se incómodo, o que eles querem é que desapareça. não lhes faça a vontade!
espero que mantenha as queixas até ao fim e nunca se renda, que consiga reunir os meios e as forças para levar de vencida esta gente que parasita a sociedade e suga os seus concidadãos de forma impiedosa, cobarde e cínica.
despeço-me dedicando-lhe Zéca faonso

O Coro dos Tribunais
Foram-se os bandos dos chacais
Chegou a vez dos tribunais
Vão reunir o bom e o mau ladrão
Para votar sobre um caixão
Quando o inocente se abateu
Inda o morto não morreu
Quando o inocente se abateu
Inda o morto não morreu

A decisão do tribunal
É como a sombra do punhal
Vamos matar o justo que ali jaz
Para quem julga tanto faz
Já que o punhal não mata bem
A lei matemos também
Já que o punhal não mata bem
A lei matemos também

Soa o clarim soa o tambor
O morto já não sente a dor
Quando o deserto nada tem a dar
Vêm as águias almoçar
O tribunal dá de comer
Venham assassinos ver
O tribunal dá de comer
Venham assassinos ver

Se o criminoso se escondeu
Nada de novo acoteceu
A recompensa ao punho que matou
Uma fortuna a quem roubou
Guarda o teu roubo guarda-o bem
Dentro de um papel a lei

Zorro 15/10/2008 23:05

Lamento que queira deixar de ser cidadão português e ser mais um a abandonar o pais.
A culpa do estado da nação é do PUTEDO DA MAÇONARIA (detentor do partido socialista) E DO CLIENTELISMO ECONÓMICO.
Viva Portugal!

domingos alves 03/10/2008 22:55

O Sr é,
daquelas pessoas que mantem viva a chama!
Obrigado, fiel amigo.

Jose manuel 03/10/2008 02:32

MEU AMIGO ACABEI DE LER A SUA NOTICIA NO JORNAL 24HORAS E QUE BEM QUE EU O ENTENDO. OLHA NÃO SOU EMIGRANTE VIVO EM PORTUGAL E SOFRO DE PROBLEMAS PARECIDOS. SOU EMPRESARIO E TENHO VARIOS CASOS NA JUSTIÇA PORTUGUESA.
VOU-LHE FALAR APENAS SÓ DE DOIS CASOS QUE TENHO EM TRIBUNAIS PORTUGUESES PARA NAO PERDER MUITO TEMPO COM ESSA GENTE.
NO ANO PASSADO FIZ UM NEGOCIO COM UM PORTUGES QUE VIVE NA CHINA, FUI BURLADO, APRESENTEI NO MINISTERIO PUBLICO DO LOCAL A QUEIXA E VOU-LHE DIZER JÁ VAI QUASE A I ANO E NEM AS TESTEMUNHAS FORAM CHAMADAS PARA PRESTAR DECLARAÇÕES. APRESENTEI AS PROVAS TODAS DA VIGARICE DISSE COMO CONTACTA-LO COMO ENCONTRA-LO E ATÉ HOJE NADA, ENTRE E SAÍ DO PAÍS COMO SE NADA FOSSE.
NO SEGUNDO CASO ENTREI COM UMA ACÇÃO CONTRA UMA EMPRESA QUE ME FICOU A DEVER DINHEIRO DE UM MATERIAL QUE LHE FORNECI, APRESENTEI QUEIXA NA COMARCA DO INDIVIDUO, APRESENTEI PROVA TESTEMUNHAL E DOCUMENTAL DE NADA SERVIU, OLHE PASSADO 5 MINUTOS DE ESTAR NA SALA DE AUDIENCIAS JA SABIA O RESULTADO. A JUÍZA DISSE QUE FACTURAS SÃO DOCUMENTOS UNILATERAIS, QUE NADA PROVAM E AINDA ESTOU SUJEITO A LEVAR COM UM PROCESSO POR DELAÇÃO POR MÁ FÉ, "ACHO QUE É ASSIM QUE SE DIZ E ESCREVE"
NESTE PAÍS SÓ PERDE QUEM TEM.
E DEPOIS ANDAMOS AQUI A LEVAR COM AS GUERRILHAS DOS JUÍZES COM O PODER POLITICO E VICE-VERSA E QUEM LEVA POR TABELA SOMOS NÓS.
NÃO LHE ADIANTA MANDAR CARTAS AO PRIMEIRO MINISTRO, PORQUE ELE ESTA-SE A MARINBAR PARA PESSOAS COMO NÓS SE FOSSE ALGUM AMIGO DELES ABRIAM AS PORTAS DO PARLAMENTO.
GARANTIDAMENTE LHE DIGO QUANDO PUDER TERMINAR COM TUDO QUE TENHO NESTE PAÍS, NEM MAIS UM UNICO CENTAVO MEU ENTRARÁ NOS COFRES DESTE ESTADO.
UM PAÍS QUE FECHA OS HOSPITAIS FECHA AS ESCOLAS E ABRE AS CADEIAS O QUE É QUE VOCE PODE ESPERAR???
MEU AMIGO UM ABRAÇO
JOSE