Capitao Marco Santos, comandante do destacamento da GNR de Cantanhede, mentiu.

Publié le par FACE OBSCURA DA LEI

Queixa-crime contra o capitao Marco Santos, comandante do destacamento da GNR de Cantanhede, por ter mentido.

Como cidadao Portugues e Europeu, apresentei no Tribunal de Cantanhede ,  
novamente queixa-crime, onde acuso as chefias da GNR.
 
Pois através de uma certidao pedida ao Tribunal Administrativo e Fiscal (TAF) de Coimbra,

 fiquei extremamente surpreendido ao constar que em vàrios relatorios este comandante, assim como os seus superiores, tem mentido descaradamente,  

nomeadamente e sobre o problema que deu origem a este conflito,
o comandante do destacamento da GNR escreveu em diversos relatorios que eu bloquei com um trator a servidao de um terreno do vizinho,

QUANDO NA VERDADE, este sabe que o terreno em causa é meu e o tractor é do meu vizinho (infractor) .

Na minha queixa-crime evoco que este capitao, Marco Santos faltou à verdade e mentiu descaradamente nos seus relatorios de ocorrencias.

Este comandante sabe perfeitamente que a GNR nao pode cometer estas ilegalidades, designadamente, mentiras, falsos relatorios que contem falsas declaraçoes, etc........

SENHOR CAPITAO, JA AGORA, APRESENTE TAMBEM QUEIXA-CRIME  CONTRA MIM , APROVEITE............

Metam-me na prisao, mas ninguem, mesmo ninguem me obriga a calar . 

Hà Circunstancias Agravantes tambem com este comportamento ,porque, resultou violaçao dos meus direitos e causam-me enorme prejuizo.

O capitao sabia perfeitamente que com este comportamento iria permitir o arquivamento da minha participaçao da acçao policial do 19/11/2004 contra o seu soldado, (José Manuel Pereira Gonçalves) ao Ministério da Administraçao Interna e ao IGAI,

garantindo desta forma o contra ataque do seu soldado por difamaçao, onde fui profundamente ofendido na minha honra e dignidade, humilhado com as mentiras ditas em Audiencia de Julgamento, no dia 2 Novembro 2006,


nesta Audiencia fui crucificado.

A pensar em reatacar o "sistema  montado", fiz as duas greves de fome, com o objectivo, de render o meu problema de interesse Publico e Publico, o que aconteceu.

E evidente que isto foi contra a vontade dos elementos do "sistema".

Fui bastante sensurado por gente de Cantanhede, que deveria estar confortàvelmente implantada na nossa regiao.

.........................................................................................................................

Mas, mais uma vez, o procurador adjunto, Dr Nuno Miguel Pinto da Silva Salgado, arquivou esta minha queixa de uma maneira "injusta e parcial".

Ataque màis uma vez, SR Procurador Adjunto !!!

Eu compreendo perfeitamente este  seu comportamento, porque tenho acçoes contra o MP de Cantanhede, e o SR Procurador tem desde 2007,  uma queixa-crime contra mim.

VOSSA EXCELENCIA SABE QUE AGORA, NAO PODE TOMAR PARTIDO DOS MEUS PROCESSOS?

Entao porque continua?

Ainda nao comprometeu que chega-se, a responsabilidade do Estado!!!


Vou pedir que este processo tambem seja investigado por um magistrado estrangeiro,

independentes da GNR, o que nao pode ser conseguido em Cantanhede.

Agradeço o apoio do meus amigos, que acreditam na minha boa fé.

Viva Portugal, nossa Naçao.

Fernando Sérgio

 








Publié dans MINISTERIO PUBLICO

Commenter cet article