CARTA 22 05 07

Publié le par FACE OBSCURA DA LEI

Sor Fernando Sergio GOMES LOPES

 

France

 

                                                                       Tribunal Judicial da Comarca de Cantanhede

                                                                       Senhor Procurador Adjunto

                                                                       Rua dos Bombeiros Volontarios

                                                                       3060-163 CANTANHEDE

                                                                       Portugal

 

 

Carta registada

Assunto: Processo 483/04.OGB CNT (notificaçao de custos)

Vossas refer: 878151

Data : 22 MAIO 2007                                   

                                   

 Exmo  Senhor Procurador,

 

Dando seguimento à vossa carta com data do 17/05/07, relativamente a notificaçao de custos, ficam notificados da minha reclamaçao sobre esta notificaçao de custos injusta na qualidade de suspeitos responsaveis, juntamente com o meu ilustre mandatario.

 

Porque eu nunca fui notificado e aparentemente o meu ilustre mandatario também demonstra nao ter sido devidamente notificado (por falta de provas), “este so reafirma que consta no processo como tendo sido feito no mesmo dia os dois”, este ignora completamente que um advogado deve de aconselhar e defender o seu cliente com prontidao, consciência e diligência, (se este foi devidamente notificado) .

 

Este assume a responsabilidade pessoal  pelo desempenho da missao que lhe foi confiada e deve de manter o cliente informado da evoluçao do assunto de que lhe foi encarregado, que nao foi o caso se foi notificado dos respectivos arquivamentos!!!.

 

No dia 29/03/07 AS 20h37, descobri porque é que o meu ilustre mandatario era acomodado, sendo este uma inexistencia, este orientava a sua actuaçao obedecendo a critérios de bom relacionamento institucional, dado que tal faz parte da sa convivencia que tem que manter na comunidade com que lida todos os dias, mas o que é isto?.

 

Desta forma o meu ilustre mandatario compromete a ética profissional, porque sem qualquer prezuizo das normas legais e deontologicas, o advogado tem o dever de actuar da forma que mais conveniente for para a defesa dos interesses do seu cliente e de colocar tais interesses antes dos seus proprios, nao é verdade?.

 

Depois de ter feito uma participaçao ao Conselho de Deontologia da Ordem dos Advogados de Coimbra, preparo uma queixa crime contra o meu ilustre mandatario, de facto, o advogado ou solicitador que intencionalmente prejudicar causa entregue ao seu patrocinio é punido com pena de prisao até 3 anos ou com pena de multa (artigo n° 370 do Codigo Penal).

 

Varias provas irao provar que é intencionalmente que este prejudica a minha causa.

 

Entretanto, jà aconselhei o meu ilustre mandatario varias vezes para declarar o sinistro à sua compagnia de seguros sobre a sua responsabilidade civil profissional.

 

Pois no dia 11/01/07, eu pedi a acelaraçao dos processos ao meu ilustre mandatario, este novamente manteve-se puramente e simplesmente silencioso e acomodado, o que me levou no dia 25/01/07 a fazer o pedido de acelaraçao dos processos pelos meus proprios meios, mais uma vez.

 

Como é logico as consequências sao da sua inteira responsabilidade, nao é verdade?.

 

Este devera activar o seu seguro de responsabilidade civil profissional, nao é verdade?.

 

Também declaro que vossas excelencias depois de novembro 2006, nao respeitam os criterios da legalidade.

 

As vossas relaçoes a meu encontro deveriam reger-se pelo principio da igualdade, proporcionalidade, justiça e imparcialidade, na sua açcao, os Orgaos da Administraçao Publica devem de ser isentos, nao se deixando influenciar por razoes subjectivas ou pessoais, que as levam a favorecer ou desfavorecer indevidamente certos particulares  (artigo n°6 do Codigo do Procedimento Administrativo).

 

“Mais importante que todas as leis é o espirito dos juristas”.

 

Recordo mais uma vez, que todas as vossas correspondencias devem de continuar a ser enviados para o pais onde resido  que é, relembro: frança

So tenho sofrido injustiças, nunca fiz mal a ninguém (sera isto crime?), inutil de me mandar cartas a partir do
15/07/07  para a minha residencia en França, que como é obvio estarei en frente ao Tribunal da nossa comarca.   

 

Pois à 3 anos que estou completamente desamparado  e encontro-me a lutar sozinho contra a famosa “sa convivencia”.(doc n°1)

 

Reafirmo que nunca fui notificado dos respectivos arquivamentos, nem informado.

 

Em consequencia, como é logico, as vossas excelencias devem de dirigir para o meu ilustre mandatario, as guias para pagamento. (doc n°2)

 

Este devera effectuar os respectivos pagamentos ou transmitilos ao seu respectivo seguro de responsabilidade civil profissional.

 

Subscrevo-me com elevada consideração.

 

                                                                                  Fernando Sergio GOMES LOPES

 

 

Copia: Conselho Superior Ministério Publico

Copia: PGR

 

Peças annexas:

 

correio Dr NAVEGA  do 19/04/07

correio Dr NAVEGA do 10/04/07

correio Dr NAVEGA do 11/04/07

correio Sr Presidente Conselho Ordem Advogados Coimbra 24/04/07

correio Dr NAVEGA do 30/03/07

aviso reçepçao do 11/04/07

mail do 29/03/07

 

 

 

Publié dans MINISTERIO PUBLICO

Commenter cet article

fernando sérgio gomes lopes 24/08/2007 22:24

Depois das queixas contra elementos da GNR e contra o Estado Portugues,
acabei de fazer novamente uma queixa contra o Ministério Publico e o Estado Portugues no Tribunal Administrativo e Fiscal de Coimbra,e fiz uma participaçao disciplinar ao Conselho Superior do Ministério Publico,por causa do comportamento "estranho" de falta de imparcialidade e de igualdade, que o Digno Magistrado Procurador Adjunto da Républica tinha a meu encontro.
Para o bem da cidadania, tambem tive de fazer uma nova queixa ao Parlamento Europeu.